Nesse blog, espero compartilhar ideias e reflexões sobre relações familiares, desenvolvimento pessoal, gestão de conflitos e construção da paz. Mas não quero me restringir somente a esses tópicos: estou receptiva a outros temas que despertem o interesse da nossa rede de contatos!

Sou fascinada pela riqueza, sutileza e complexidade das redes de relacionamento em famílias, escolas e organizações. Gosto de ver as pessoas (inclusive eu mesma!) se desenvolvendo no decorrer da vida, transformando obstáculos em caminhos, encarando os desafios, criando novos recursos de ação, fazendo e refazendo projetos de vida, sem permitir que o medo da mudança sufoque o desejo de explorar novos territórios.

Sinto preocupação, tristeza e indignação quando vejo que as redes de relacionamento abrigam ódio, vingança, violência, injustiça, corrupção. Sinto alegria e esperança quando vejo que as redes de relacionamento também abrigam amor, ternura, cooperação, respeito, solidariedade e criatividade para promover ações inovadoras, mesmo em circunstâncias desfavoráveis ou precárias.

Entendendo a paz como uma construção diária para cuidar bem de nós mesmos, dos outros e do ambiente em que vivemos, vejo que todos nós temos aspectos sombrios e luminosos. Somos livres para escolher o aspecto que predominará dentro de nós: se vamos cultivar a paz, ou semear ódio e destruição.

Algumas décadas de vida, a experiência como psicoterapeuta de famílias e o trabalho com comunidades que vivem em condições precárias me mostraram que há crianças que crescem bem apesar de não contarem com famílias amorosas e bem estruturadas, ou apesar de viverem em cenários predominantemente violentos. Por outro lado, vejo adolescentes e jovens adultos extremamente egocêntricos, prepotentes, desrespeitosos e preconceituosos, apesar de pertencerem a famílias bem constituídas, frequentarem boas escolas e terem ótimas condições de vida. Convencidos de que possuem o direito de usufruir todos os privilégios, não expressam reconhecimento nem gratidão pelo que recebem, e em nada contribuem para o bem-estar familiar e comunitário.

Há muitos obstáculos a serem transformados em caminhos que nos conduzam a melhores condições de vida. É preciso ter persistência, determinação e fé para alcançar as metas que nos propomos como indivíduos e como membros da Família Humana, no infinito processo de evolução.